terça-feira, 5 de agosto de 2014

Instruções aos Alunos do Instituto Malleus Dei

Categories:

Para se ter um bom proveito dos Cursos que oferecemos, e em todo o estudo aprofundado, sistematizado e institucional da Palavra de Deus pedimos que se tome, com o devido peso, os seguintes avisos:

(1) Consideres a grandeza do chamado e dom especial que nosso Senhor concede a alguns homens e que os faz capazes de manejar a Palavra com destreza, como uma espada afiada, cujos golpes poderosos despedaçam o ímpio em seu interior e pode levá-lo derrotado e ferido, ao reconhecimento da sua miséria, aos pés da Cruz de nosso Salvador; considere ainda que há um proporcionalmente maior juízo sobre os que são colocados por mestres da Palavra, seja oficialmente, sobre a Igreja, ou especial e delimitadamente aos seus ou sobre alguns irmãos, cuja relação natural e o dever Cristão impõe; e, por fim, medites enormemente na maior exigência e qualificações sobre os que são chamados ao Ministério da Palavra e dos Sacramentos, o que, cremos, é a convicção da maioria dos que se aliam a nós como estudantes. Tão colossal quanto o valor do chamado, o peso do juízo e a exigência do ministério, é o perigo e as terríveis consequências para aqueles que, tendo provado de tais dons celestiais, deixaram a habitação na Casa de Deus a que tem sido, ainda que só externamente, convocados, para se perderem após a vontade da carne. Nunca te aproximes dos momentos e ocasiões reservados para o Estudo e demais tarefas do Seminário sem a firme visão destas coisas diante de ti.

(2) Examine-te a ti mesmo quanto às capacidades naturais e ao poder sobrenatural que o nosso Senhor já tem trazido sobre ti; aperfeiçoe-te nestas aptidões ANTES de enveredar-te pelo caminho do Seminário ou de outro Curso de superior qualificação, onde a pressão pode ser esmagadora e o trabalho pesado - não simplesmente pelo Curso em si, mas porque estarás te alistando para ajuntar-te aos batalhões de frente de Guerra travada pela Milícia da Igreja de nosso Senhor contra os exércitos do Império das Trevas, com o intuito de atacar e derribar as Fortalezas de Satanás nas almas, corações e mentes dos homens. As batalhas serão extenuantes e não é um lugar para quem não foi, primeiramente, adestrado para tal. (Lembrete: temos Cursos mais simples, livres, para os que desejam crescer no Conhecimento da Graça, porém ainda não tomam sobre si o encargo dos mais pesados deveres - seja por temor e insegurança temporária, ou porque, em verdade, não foram chamados para tal). Ainda, recorde-te, sobretudo, nas mais difíceis partes e tempos de teu serviço e treinamento, da fraternal instrução e amor dos Pastores e Mestres - essência do chamado destes, que sempre lhes serão cedidos com grato e alegre coração, com louvor à Graça de nosso Salvador. Quanto aos dons naturais, é necessário perseverança e capacidade fora do comum para receber, lembrar, utilizar, praticar e ensinar tudo o que se aprende, especialmente porque ao dom natural já há de se ter sido somada a Graça especial que guia o Cristão à toda Verdade e à Fé que nos dá a certeza de que, se pedirmos sabedoria, nosso Pai Celeste nos dará liberalmente. Àquele que não tem competência para pensar e falar articuladamente das coisas comuns, usualmente não cabe também a tarefa e capacidade para o trabalho de um pregador.


(3) Quanto ao fruto do Espírito, tenhas em mente que os Pastores e Mestres devem, em tudo, serem Irrepreensíveis. Temperantes, Sóbrios, de bom-ânimo, amantes do bem, desejosos da piedade e da santidade. Se o Senhor tem te chamado para o Ministério da Palavra, igualmente e inequívocamente, Ele o estará chamando para ser útil em toda Piedade para a Igreja; tenhas a certeza, portanto, de que tu não andas escandalosamente, nem estás cativo por um grosso pecado; que teu anseio não é por mero conhecimento e mundana sabedoria, mas por todo o Amor e pela Religião Pura e Imaculada para com o Pai, pela Palavra de Deus, pela Glória de nosso Senhor, por uma vida de oração e abnegação. Antes de buscar um lugar entre os Anciãos do Povo de Deus, ponha à prova tua alma, e vejas se há nela preocupação e afeição pela Vida no Porvir, e aflição, com peso na consciência e dor, sob a convicção da malignidade do Pecado; e tenhas certeza de que um andar agradável ao Senhor, pleno de Santidade em todas as coisas, é sumamente necessário.

Reitero: o homem que deseja servir ao Senhor proclamando Sua Palavra e Governando Seu Povo, deve ter semelhantes qualificações. Não é uma obra e chamado para todos, nem é uma obra ou chamado agradável; antes, é um serviço rendido com muitas lágrimas, sacrifício e penas, pesando ainda sobre o Ministro do Evangelho o temor de saber que responderá por todas as almas do rebanho que lhe foram entregues, ante o mais rigoroso Juízo de Deus. E, lembre-te de que: se era aborrecível oferecer um cordeiro cego, coxo ou doente ao Senhor na Antiga Aliança, se nas figuras do Velho Concerto o Eunuco não poderia adentrar o espaço da Santidade do Senhor, tanto pior será agora, sob maior luz, dedicar ao uso do Senhor aquele que Ele não chamou, capacitou e santificou para tal. Dedicar um ímpio ou alguém sobre quem a Graça e os Dons necessários não repousam, é profano; considerar que estes Dons e o Chamado virão posteriormente, é presunção maldita.

Ainda, tendo tomado por devido peso os avisos, se tu ainda estás certo de ter parte nesta obra, levas ao teu coração os seguintes conselhos gerais:

(1) Temei e tremei!
Fales do Temor do Senhor ao teu coração dia e noite; medites na Sua Lei e na preciosidade do chamado ao Ministério, e lembra-te de que, dentre todas as profissões e chamados, dons e ocupações do Universo, Deus escolheu que Seu Único Filho seria um Pregador. Oh, quão sublime esta tarefa! E quão temível, porque o Nome do Altíssimo será louvado ou blasfemado, e a Santa Doutrina plantada ou desarraigada do coração dos homens, e as almas endurecidas ou iluminadas, pelo meio da Palavra proferida por você, no poder do Espírito de Deus.
Agora, saibas que houve anjos em santidade e glória, que não guardaram seus lugares, e foram entregues às Trevas; e houve profetas e mesmo um Apóstolo, seguidos por maravilhas e pela presença de Deus, que não tiveram por bem o exercício do chamado, mas corromperam-se na contradição e leviandade; como, pois, pensas tu que escaparias ileso, caso desonres esta vocação?

(2) Vigies o teu coração contra a Soberba; especialmente aos mais jovens, esta é uma tentação comum. Quando percebem a influência e poder que a autoridade associada ao Ministério evoca nos homens, mui facilmente são seduzidos; antes ninguém lhes prestava honra alguma, agora são benquistos; antes não tinham vez diante dos mais velhos e experientes, agora todos se calam e ouvem a pregação e os conselhos. Quão perigoso tal lisonja é ao coração fraco do homem! E quão contrários à natureza da Vocação são estas expectativas e desejos! O Ministro deve ser o menor de todos os homens, e o servo de todos, exercendo sua autoridade não por força, mas por amor; não dominando com faculdades e recursos próprios, mas governando pela Graça e Poder de Deus, com toda Sabedoria e longanimidade.
Soberba, ambição e expectativas terreais caminham juntas e igualmente juntas batalham para encontrar uma entrada secreta, oculta nos antigos fossos que davam de beber ao Velho Homem; meio enterrados, meio esquecidos, mas lá, dormentes no fundo de cada alma, há os pecados que aguardam pela visita destes aliados exilados. Suspeite de teu coração, investigue e tente discernir teus caminhos, pois uma grande tristeza e prisão aguarda os que são conquistados pela Soberba! Não se pode ter dois Senhores, ou seu deus é o Altíssimo Deus revelado na Escritura, Aquele contemplado em Cristo, Criador e Pai da Eternidade; ou seu deus é Mammom, Quemós, Baal e, quiçá, o seu próprio ventre. Que triteza e angústia virão quando todos os falsos deuses forem varridos ao esquecimento e seus servos se encontrarem desamparados e sós perante o Juiz dos Vivos e dos Mortos, o Senhor dos Senhores e Deus dos deuses.

(3) Fujas da carnalidade - decidida e rigidamente, evites todas as iscas, olhares e pensamentos, todas as companhias, imagens e oportunidades pelas quais a tentação ganha forças e ajunta um exército para o dia do cerco do teu coração.Não te enganes: a sensualidade e o apetite para todas as coisas da carne, lícitas ou ilícitas, prejudiciais ou escandalosas, já nasceu contigo e é parte da tua natureza corrupta, Filho de Adão. A fineza, a boa educação e a civilidade não têm poder contra o pecado. Vigies porque em toda parte sua carne clama pelo que pode desviar-te da dedicação à oração e do estudo da Palavra, da prática da Piedade e da Glória dos Céus; tua mente tende à inclinar-se a fantasias, à excitar teu estômago ao imoderado desejo por caras ou abundantes gulodices e glutonarias; a ansiar pelo estado de entorpecimento promovido por algumas poucas taças de vinho ou por um copo de bebida forte; ao fluxo de emoções artificiais e malignas induzidas ao assistir filmes e teatro com seus mentirosos atores e cenas, ou a ler romances e ficções oriundas da mente de homens decaídos; às desnaturadas e inexpedientes recordações ou imaginações envolvendo mulheres e toda as mais incontáveis formas pela qual o homem natural se reaviva e evoca seus aliados para sua humilhação e desgraça. Rigidamente, decididamente, fujas da carnalidade! A carne e o espírito lutam violentamente e, se a carne prevalecer, o Senhor teu Deus preparará Sua Espada, a Graça dEle será expelida da sua alma e tua consciência será definitivamente esmigalhada.

(4) Escolhas teus conselheiros e companheiros com prudência. Não sejas contido nisto, mas procuras aqueles que são eminentemente santos, conhecidos pela Piedade e sabedoria, e tenhas neles a alegria de bons amigos. Como são poucos os frequentadores das nossas assembleias que vivem em pleno acordo com a profissão de fé, também poucos são aqueles que, dentre os estudiosos e aspirantes ao ministério, gozam de saúde e vida em suas almas. Esforça-te para encontrar e selecionar conselheiros e companheiros de estudo de notável e verdadeiro caráter cristão; ainda que raros, ama-os e toma-os por amigos mais chegados que um irmão:quem anda com sábios, sábio se tornará; quem tem comunhão com santos, encontra mais vida no espírito, bem como ódio ao pecado e amor à justiça; do mesmo modo, quem tem mundanos por companhia, terá a mente preenchida com ambições vãs; aquele que se assenta com ímpios e hipócritas, aprenderá a ser uma mera carcaça de formalidades apegado à aparência da piedade, mas inimigo da séria e fervente devoção; e o que caminha com o tolo e empedernido malfeitor, será carregado por uma torrente de mentiras, malícias, carnalidades e toda inimizade contra o que é bom. Por fim, não te esqueças dos antigos Mestres que hoje descansam no Triunfo da Glória, e carregam consigo seus escritos e biografias - John Knox, João Calvino, Samuel Rutherford e outros mais, cujas obras sejam firmes na Escritura e cheias de toda Prática da Piedade.


Aproximando-nos agora especificamente da forma como Nosso Senhor nos tem dado de partilhar os dons de ensino e conhecimento para a vossa instrução nesta academia, entregamos os seguintes conselhos: 
(1) Com tanto mais prudência e em especial oração, sejas sábio na escolha dos tutores e professores. De forma distinta do que outras instituições e mesmo o padrão do Estado agem, permitimos aos alunos escolherem as disciplinas e os tutores que lhes acompanharão no curso. É, no entanto, paradoxal esperar que o ignorante ou o neófito, embora tão necessitado da ajuda dos melhores, tenha a sabedoria de reconhecer quem seriam os tais; por isso, indicamos, desde já, um método útil para guiá-lo nesta tarefa:
a) Procures o conselho dos pastores e mestres pubicamente reconhecidos como piedosos, sóbrios e imparciais, para que indiquem os tutores de reputação irrepreensível e cujos dons serão pontualmente úteis para o teu crescimento na fé.
b)Entrevistes teu tutor e investigues se ele tem clara e decidida preferência pela sabedoria divina sobrehumana, direcionando todo o esforço do teu ensino na aplicação das ferramentas humanas para a exposição da Escritura e o ensino da vontade de Deus.
c)Tenhas a certeza de que teu tutor tem por objetivo primordial o glorificar a Deus e o instruir a tua pessoa no que é útil para a salvação da tua própria alma.
d)Não escolhas um tutor que busque o louvor do mundo e deseja fazer um nome notável para si mesmo e que, por isso, te incentivará a amar os primeiros lugares e o ser cumprimentado pelas multidões.
e)Não tomes para ti um tutor faccioso e contencioso, ou que violentamente se torne partidário de uma singularidade ou excentricidade teológica; escolhas, entretanto, aquele que honra a confissão de fé e a doutrina cristã histórica, é caridoso, que evita polêmicas desnecessárias, que ama a clareza e a perspicuidade, que busca a unidade na verdade e, fazendo o bem para todos, é pacificador.
(2) Programes, com uma ordem útil e prudente, a sequência e a regularidade dos teus estudos. Comeces com um estudo particular do Catecismo Menor e um estudo tutorado de Teologia da Aliança e de Doutrina das Escrituras; acompanhes com meditação em um livro como O Alerta aos Pecadores, Um Guia Seguro para o Céu ou A Vida de Deus na Alma do Homem, de modo a assentar e a certificar que tua alma encontra-se em condição segura para viver ou para morrer. Não te apresses para as humanidades ou ciências antes de ter aprendido como viver uma vida digna do chamado em nome de Cristo Jesus. Tendo sempre em mente que, se aprouver ao Senhor enviar-te à visita da morte amanhã será, sem dúvida, mais importante estares preparado para adentrar à Glória do que, versado em Filosofia e Cálculo, desceres ao inferno. No estudo tutorado da Doutrina das Escrituras, teu Professor deverá te incentivará à abundante leitura do Texto Sagrado e a manter o conhecimento temporal subserviente, restrito ao seu própro lugar e uso, (pois muitos encontraram tropeços e mesmo uma pavorosa queda por, ainda muito jovens e sem capacidade, enredarem-se nos estudos da Filosofia secular ou em questões teológicas controversas). Evites, com todas as tuas forças, tornar-te um `címbalo que retine´, amando mais a forma do conhecimento e a aparência da sabedoria do que uma vida santa, justa, piedosa em que a Razão e o Intelecto são instrumentos do Poder e Vida divinos a que o Pai das Luzes nos envia, pelo Espírito Santo, desde o Alto, para a exaltação do nome de Cristo Jesus e o Progresso do Seu Reino.
(3) Não te apresses em omitir opiniões rígidas em assuntos controversos que estão além do escopo Confessional. Firmes primeiramente os fundamentos com muita segurança e conhecimento bíblico e histórico; conheças todas as implicações da natureza e da evidência da Verdade soteriológica e teontológica e, com a ajuda das artes e ciências temporais, desenhes com exatidão, o sistema teológico segundo o devido método em tua mente. Evites o excesso de confiança e saibas que o maior conhecimento da Escritura e da história da Igreja e uma maior maturidade mui provavelmente conduzir-te-ão aos mais ponderados e precisos pensamentos sobre estes pontos difíceis.
(4) Não inicies tuas atividades ministeriais e de ensino muito ousadamente, nem para um grande público, nem ante importantes autoridades; não escrevas para circulação geral. Excesso de confiança é um tipo de orgulho e demonstra desconhecimento das próprias e abundantes limitações e falhas; pior ainda, representa desprezo pela grandeza da obra do ministério e é um sintoma de um coração que subjulga a ferocidade dos poderes das trevas e a glória e zelo pelo Altíssimo e Santo Senhor. Esforça-te para, no primeiro triênio ou quinquênio de estudos, permaneceres sob a vista de teus tutores, se possível, na igreja de um pastor mais experiente, de preferência em uma congregação pequena, dedicando todo teu esforço ministerial, todo teu ensino falado ou escrito à participação deste grupo. Quando inicares um ministério público à parte desta supervisão inicial busques, se possível, por alguns anos, dedicar-te ao estabelecimento de uma congregação junto aos mais simples, os quais não conhecem a sabedoria deste mundo, nem possuem sede e aptidão para as coisas mais elevadas da Palavra. Tão somente, após ser provado e aprovado nos trabalhos mais simples, havendo um chamado de Deus para isso, dedica-te às pregações mais públicas, às preleções nos concílios e sínodos, ao ensino nos seminários, aos conventículos de pastores, aos escritos de circulação geral, e demais coisas de grande vista.
(5) Há muitas decisões envolvidas no estudo acadêmico e na averiguação do teu chamado, mais do que seria possível discutir individualmente. Em todas as coisas, decidas como verdadeiro discípulo de Cristo: tomes a esperança celestial da revelação da Glória de Deus como teu objetivo, como o teu tudo em todas as coisas. E estejas ciente: aquele que assim não o faz, não é sequer verdadeiro cristão e excede em sua pecaminosa presunção caso considere-se candidato ao ministério. Em todo o tempo, lembra-te da aliança da Graça de Deus e dos votos que tomastes no teu batismo. Honra-os, considerando de forma sóbria e crente, em meditação e oração, cada escolha: quais disciplinas deves cursar; quais pesquisas escolher; como e quando iniciar um grupo local de estudantes; como, quando e onde fundar uma igreja ou assumir maiores responsabilidades naquela em que já estás; aos solteiros, quando e com quem casar-se; aos casados, como conciliar ministério e família e como encaminhar os filhos em meio à esta adúltera geração; dentre tantas outras questões. Refiras sempre todas as coisas temporais às consequências eternas que terão, direcionando-as para fins e usos espirituais; lembra-te de que todas as coisas são perda e escória, quando comparadas à única coisa que é verdadeiramente necessária: o ser achado em Cristo Jesus.

Quanto ao sistema e ao método com que nossa Academia instrui os alunos, para o devido aproveitamento e prosseguimento em nossos cursos, explicamos o seguinte: 
Chamamos “Sistema Aberto” ao modo pelo qual estrutura-se nossa Academia. Isso significa que todas as aulas são livres para alunos de qualquer período e mesmo para quem não é matriculado. Isso também significa que a Academia não impõe um currículo, nem se submete às hierarquias externas ou às certificações governamentais. O “Sistema Aberto” é Livre.

Mas como o aluno progride em tal sistema?
(1) Aqueles que são matriculados recebem contato de cristãos mais experientes que já cursaram seminários ortodoxos ou faculdades, em sua maioria, ministros que serão responsáveis por acompanhar e avaliar teu progresso, auferindo “créditos” pela disciplina cursada, conforme o teu desempenho.
(2) A Academia oferece modelos de currículo que representam fluxos com diferentes ênfases para o estudo. Quando o aluno completa um número adequado de disciplinas e créditos, oferecemos um diploma com o título equivalente ao seu estudo.
(3) Quando uma disciplina exige o conhecimento prévio de uma outra disciplina, o que se chama pré-requisito, ainda assim suas aulas são abertas; porém, o crédito só é adquirido ao se completarem todos os pré-requisitos.
(4) A cada semestre, um certo número de disciplinas possuem aulas que são transmitidas ao vivo pela internet, e um número complementar de disciplinas têm as video-aulas atualizadas. Estas aulas transmitidas ao vivo são livres. As aulas atualizadas têm uma porção do seu conteúdo divulgado no site.
(5) Os alunos matriculados têm acesso ao “Ambiente Virtual”. Neste “Ambiente Virtual” as disciplinas estão organizadas por Cadeira, com material complementar, a saber: videos, livros, áudios e exercícios. Também neste “Ambiente Virtual” cada disciplina apresenta várias avaliações. O progresso do aluno, no entanto, não é automático. A avaliação e a concessão dos créditos estão atrelados à tutoria.
(6) A Academia é uma organização Pactual, Confessional e Cristã: cremos e praticamos a Fé Cristã Histórica, como Instituição de Ensino. Não temos pretensões secularistas ou o desejo de nos enquadrarmos no arranjo científico internacional. Pelo contrário, ansiamos pelo certo dia futuro em que as instituições civis se renderão ao cetro de Cristo Jesus e toda a cultura secularista e antropocêntrica ruirá; portanto, esperamos de nossos alunos e exigimos deles uma comunhão cristã. É parte da responsabilidade e do trabalho dos tutores orar com os alunos, participar de sua vida cristã e auxiliá-los no combate ao pecado. A falta de postura ou de comunhão cristã desqualifica o aluno como tal para a Academia.
(7) Finalmente, recomendamos que cada aluno curse até (3)três disciplinas por bimestre, sabendo que o mínimo esperado é de (20)vinte aulas por disciplina, aproximadamente (10)vídeos gravados ou aulas interativas e (10)sessões de tutoria. A avaliação de cada disciplina incluirá trabalhos escritos, de entre 10 (dez)e (20)vinte páginas e a comprovação da habilidade de expor, explicar, convencer, defender e vivenciar o conteúdo aprendido.


Comissão Nacional de Gestão do Instituto Malleus Dei.

Spread The Love, Share Our Article

Related Posts

2 Response to Instruções aos Alunos do Instituto Malleus Dei

5 de agosto de 2016 18:56

Como se matricular?

17 de janeiro de 2017 08:08

ainda não encontrei onde se matricular. estou muito interessado em conhecer mais de Deus.

Postar um comentário